Arquivo da tag: kits

CARE Brasil realiza 8 oficinas com 700 participantes em Teresópolis

Mais de 700 pessoas participaram das oficinas realizadas pela CARE Brasil

A CARE Brasil realizou um importante trabalho de mobilização comunitária nos três distritos do município de Teresópolis (na região serrana do Estado do Rio de Janeiro): Paquequer, Bonsucesso e Vieira. Com o objetivo de fortalecer os movimentos sociais e grupos organizados locais e estabelecer uma parceria com eles, a equipe técnica local da ONG realizou várias reuniões comunitárias com as lideranças para o planejamento de oficinas e da distribuição de kits com roupas de cama e banho.

Ao todo, mais de 700 pessoas participaram das 8 oficinas realizadas na cidade: 2 nos abrigos Acolher e Ginásio Pedrão e 6 nos bairros de Granja Florestal, Caleme, Santa Rita, Vieira, Três Córregos e Pessegueiros. As oficinas abordaram temas como cuidados básicos com a saúde, direitos humanos e cidadania, preparação para futuros desastres, a mulher no contexto das enchentes e estímulos para alívio das perdas e contaram com o apoio de 30 líderes comunitários, que também foram mobilizados para incentivar a formação de redes de redução de riscos de desastres.

567 famílias de Teresópolis receberam kits com roupas de cama e banho

Nos últimos meses a CARE Brasil realizou um trabalho intenso de cadastramento das famílias em situação de vulnerabilidade, que foram afetadas pelas enchentes de 12 de janeiro. Foram realizadas mais de 30 visitas aos locais afetados e o cadastro das famílias contou com o apoio da Secretaria Municipal dos Direitos da Mulher, de presidentes de associações de moradores e de líderes comunitários. 567 famílias de Teresópolis receberam os kits com roupas de cama e banho, totalizando aproximadamente 2.268 pessoas beneficiadas.

“Todos aqui estão alegres com o apoio que a CARE Brasil vem nos dando, porque realmente as pessoas são muito carentes. Muitos morreram no desastre aqui da região. Ao todo foram 63 pessoas mortas e nove desaparecidas. Muitas pessoas ainda vivem em casas de parentes e abrigos, enquanto outros esperam pelo aluguel social, mas não estão conseguindo receber. Aí não têm como pagar por uma casa e acabam voltando para as suas casas antigas, destruídas, que foram atingidas pelas enchentes e deslizamentos”, contou Waldir Paulino Vieira da Costa, Presidente da Associação de Moradores da Fazenda Alpina, Santa Rita, Arrieiro e Holliday; e Presidente da Federação das Associações de Moradores do Município de Teresópolis.

Atividade de uma das oficinas

Também foram realizadas diversas reuniões com lideranças comunitárias locais e agentes da defesa civil municipal, para apoiar a realização de uma pesquisa sobre redução de riscos de desastres (RRD) orientadas por pesquisadores do Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres (CEPED) da Universidade Federal de Santa Catarina, que elaborou um diagnóstico com essa pesquisa. O estudo do CEPED será divulgado em breve e irá nortear o desenvolvimento de futuras ações da CARE Brasil para a capacitação das lideranças comunitárias e políticas locais, a fim de reduzir os riscos de desastres e fortalecer a população local aumentando sua resiliência e criando comunidades mais seguras e conscientes.

Érica Vargas, Secretária Municipal dos Direitos da Mulher

Todas as ações realizadas pela CARE Brasil contaram com o apoio de valiosas parcerias locais, como a Secretaria dos Direitos da Mulher, que levou às oficinas representantes de sua equipe, incluindo a própria Secretária municipal, Érica Vargas, para uma breve exposição sobre as políticas públicas em atenção às mulheres de Teresópolis; Federação das Associações dos Moradores e das Entidades Associativas do Município de Teresópolis; Associação de Moradores de Vieira; Centro Comunitário do Vale Alpina; Associação de Moradores do Vale da Revolta; Associação de Moradores do Caleme; Associação de Moradores do Campo Grande; Associação de Moradores do Cascata do Imbuí; Associação de Moradores de Três Córregos; Associação de Moradores de Providência; Associação de Moradores em Ponte Nova; Associação de Moradores de Pessegueiros; Igreja Católica da Granja Florestal; Igreja Católica do Caleme; Igreja Evangélica Sal da Terra de Pessegueiros; Igreja Metodista Wesleyana do Bairro São Pedro; e do Abrigo Acolher da Igreja Batista da Barra do Imbuí.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em RJ - Região Serrana

CARE distribui roupas de cama e banho e realiza diálogo sobre saúde com 24 famílias em abrigo de Nova Friburgo (região serrana do RJ)

No dia 05 de maio a CARE Brasil esteve presente no SASE Olaria, o maior abrigo de Nova Friburgo, cidade da região serrana do Rio de Janeiro que foi fortemente atingida pelas enchentes e deslizamentos de morros em janeiro deste ano. Foram distribuídos kits com roupa de cama e banho para 24 famílias que vivem abrigadas no local e, em seguida, foi realizada uma roda de conversa sobre saúde com a Doutora Monica Netto Carvalho.

Contando com a participação de mais de 30 residentes do abrigo, o diálogo funcionou com uma série de perguntas e respostas, mediadas pela Dra. Monica, sobre assuntos variados de saúde como AIDS, dengue e drogas, entre muitos outros. Os participantes ficaram à vontade para falar, perguntar e trocar experiências.

Joelma Oliveira, moradora do abrigo que acaba de se tornar mãe

Cada kit era composto por dois jogos de roupa de cama de solteiro, um jogo de roupa de cama de casal e uma toalha de banho. Os kits foram adquiridos graças ao apoio financeiro da Comissão Europeia e de outros doadores privados. “Foi muito bom ouvir a médica e aprender coisas novas. Também fiquei feliz com este kit, que vai me ajudar bastante”, disse Joelma Almeida de Oliveira, 23 anos, que acaba de se tornar mãe (seu filho ainda não tem nem um mês de vida).

“As pessoas que estão abrigadas no SASE Olaria se encontram em situação de vulnerabilidade, pois não conseguiram um lugar para morar até agora, passados mais de três meses do desastre. Estão vivendo às margens da pobreza e passando por muitas dificuldades. Por isso este tipo de apoio foi tão bem recebido”, afirma Daphne Sorensen, da CARE Brasil. De acordo com ela, já estão planejadas mais visitas a abrigos e ações na região serrana. A próxima atividade ocorrerá em Teresópolis, no sábado (14 de maio), quando serão distribuídos mais de 1.200 kits para famílias atingidas pelas enchentes e deslizamentos.

3 Comentários

Arquivado em RJ - Região Serrana

Como estão hoje as famílias afetadas pelas tempestades na Região Serrana do RJ

Dois meses após o desastre na região serrana do Rio de Janeiro, o drama vivido em 12 de janeiro de 2011 continua para milhares de famílias. Em Petrópolis, onde as tempestades causaram destruição e perdas, principalmente no distrito de Itaipava, o que se vê ainda são muitos destroços e lixo.

Os moradores das comunidades Gentil, Benfica, Madame Machado, Vale do Cuiabá, Buraco do Sapo e Borges, entre outras, estão aguardando os laudos de casas da Defesa Civil. Embora o aluguel social esteja sendo pago, não há casas disponíveis nas regiões mais pobres do distrito e a mudança para outras áreas não é uma oferta muito agradável para estes habitantes, pois o preço do aluguel é bem mais caro e a mudança implica no distanciamento de suas família e comunidades, a mudança de escola para seus filhos, a oferta e a locomoção para o trabalho. Tudo isso afeta dezenas de famílias que ainda se encontram assustadas com as perdas sofridas no desastre.

Moradores de Petrópolis ainda sofrem com as consequências da tempestade de janeiro

Ontem, uma equipe da CARE Brasil esteve na comunidade do Borges, na estrada que vai para o Centro de Treinamento do Vale da Esperança. Lá, cerca de 20 famílias residentes sofreram muitas perdas e danos. “Quando a água veio com aquela força, trazendo muito barro, a gente foi subindo para o alto. Eu fiquei apavorada, tive que fugir. Depois de umas quatro horas, a água baixou, então voltei e vi que tinha perdido tudo. Minha casa e tudo o que tinha dentro desapareceu”, comenta Juliana Murta Machado, moradora do Borges há 22 anos.

Aproximadamente quinze famílias moram na comunidade e estão aguardando uma posição da Prefeitura quanto à habitação. Os riscos de novas tragédias assustam. Segundo várias mulheres moradoras do local, não há esperança de continuidade. Uma comunidade inteira que convivia harmoniosamente há quase 30 anos terá agora a sua história alterada. Elas falam com tristeza da possibilidade de mudança.

A geografia da região foi alterada. Um riacho estreito se transformou em um rio de larga extensão. Máquinas e tratores estão cuidando de desassorear o rio. As estradas estão lamacentas e com acesso precário, mas nada disso tira a esperança das famílias, que afirmam ter coragem de ajudar umas às outras.

A CARE Brasil irá distribuir kits de higiene e de limpeza no local na quinta-feira (17/03). Também serão realizadas em breve outras ações de apoio às famílias, tais como acompanhamento na situação da moradia, levantamento das necessidades prioritárias, distribuição de utensílios para o lar e capacitações sobre enfrentamento de riscos e desastres, segundo a gerente local do projeto de emergência na região serrana do Rio de Janeiro, Rosangela Gomes, da CARE Brasil.

Deixe um comentário

Arquivado em RJ - Região Serrana